quinta-feira, fevereiro 21, 2008

AQUELA TAL MALANDRAGEM

Malandro é malandro, e mané é mané! Quem espera tempo bom é sertanejo. Otário sempre vacila. Entra na roda e dança. Mas malandro de verdade é quem tem autoridade pra dizer: "formiga miúda não morde o meu pé".

Explico.

Tem situações que deixam muita gente sem saber ao certo o que fazer. Histéricos não fazem nada. Só alarde. Metidos a sabichões costumam fazer merda e piorar o que já estava ruim. E daí pode-se provar que malandro é malandro, e mané é mané.

Minha mãe é daquelas cozinheiras de mão cheia, e eu já disse e reafirmo isso aqui. Instalada aqui em casa nesses dias, a velha foi ao fogão armar um refogado esperto pro jantar, mas escorregou no sal. Quem espera tempo bom é sertanejo... Mas pra ela isso é formiga miúda. Chego na cozinha e dou de cara com essa cena no fogão:

- O que é isso, velha?

- Acho que eu salguei o refogado. Mas a minha mãe me ensinou que colocar sal por cima da tampa da panela faz ele puxar o sal da comida. Tira o excesso.

Senti-me criança descobrindo o segredo de uma grande mágica.

- Meu celular, onde está? Vou fotografar! - disse.

- Há! Mas, Diego... - ela disse, e soltou uma de suas gargalhadas.

E as gargalhadas da minha digníssima genitora são de dar inveja em um time completo de pombas-giras, com dona Maria Padilha, dona Mulambo, Pomba-gira das Sete Encruzas, Pomba-gira do Fogo e mais, todas elas conhecidas de longa data, de minha mãe e do seu Zé Pilintra, o maior malandro de todos os tempos, símbolo máximo da Lapa, daquela tal malandragem, que a boca-pequena diz que não existe mais, mas que reviveu nesse fim de tarde aqui em casa.

Vazei, que eu não marco bobeira.

5 comentários:

Michelle Vilardi disse...

Olá!

prazer Diego,!

sou de Brasília e gostei muito do seu blog, muito diversificado e informativo!

sou professora aqui no DF tbm, só que de Atualidades e de História.


seguirei lendo suas idéias...

até logo,
abraços

Michelle Vilardi

Diego Moreira disse...

Seja bem chegada, Michelle.
Abraços!

Filipe disse...

Definitivamente, está na hora de pensar um livro seu, meu caro!
E tenho dito.
Saravá!

Larissa disse...

Que delícia ler esse post!
Tô com Filipe e não abro: queremos um livro.
Só nossa mãe mesmo pra fazer algo assim! Já ouvi dizer que colocar uma batata na comida salgada ajuda a retirar o sal, mas sal na tampa da panela foi criativo demais. A vida se faz dessas pequenas histórias cotidianas. Gostoso demais.

Bjs. Garota

Diego Moreira disse...

Mestre, honra-me muito, vindo de você, um homem das letras.

Garota, um salzinho na tampa sai mais barato do que uma batata inteira perdida. Malandro é malandro...