quarta-feira, janeiro 14, 2009

COMENDO NOS AMBULANTES DO SUBÚRBIO

Queridos,

Estive na tarde de hoje num bate-papo bem bacana com o cineasta Sérgio Bloch, que dirigiu diversos filmes lançados aqui no Brasil e no exterior, e com o Fabricio Menicucci, coordenador de pesquisa de sua produtora, a Abbas Filmes.

O contato entre a produtora e este humilde subúrbio virtual surgiu através das pesquisas do Fabrício que encontrou o texto que escrevemos sobre o Largo das Cinco Bocas. E lá, ele deixou um comentário:

"Olá Diego, pelo que estou lendo no blog você é um apaixonado pelo subúrbio carioca, e acho que pode me ajudar."

E assim começou a se desenhar uma humilde parceria na próxima produção da Abbas Filmes.

O projeto é de um curta-metragem chamado "Na Boca do Povo". A idéia é retratar a rua como um espaço onde se pode comer bem e onde o ato de comer cria possibilidades de socialização entre as pessoas.

A escolha dos personagens não é exatamente aleatória. Eles estão buscando ambulantes que vendem comida mas que tenham alguma história que possa ser contada como um diferencial.

E não é exatamente o sujeito que ferve uma salsicha pronta, corta um pão careca e vende um cachorro quente que eles procuram. A preferência é que a pessoa prepare os ingredientes pessoalmente. Tudo bem. Se o sujeito fizer, de um simples pão com salsicha, um super cachorro quente, pode ser.

Mas são histórias como a do Seu Morais, que tinha uma sorveteria que faliu e hoje vende os sorvetes nas ruas de Ipanema, e da Tia Nete, que vende sanduiche de pão caseiro nas praias do Arpoador, Ipanema e Leblon, que eles estão procurando.

Vocês podem ver essas e outras histórias no Blog do Filme, que já entrou pra minha lista de leituras. Mas falta uma história genuinamente suburbana. E é isso que o Sérgio Bloch quer, para que o filme não fique com a cara da Zona Sul.

Escrevo este texto em retribuição a gentileza do Sérgio , que além de me convidar pro bate-papo da tarde de hoje, me presenteou com exemplares de dois filmes seus: Tudo Sobre Rodas e Presidente Vargas - Biografia de uma Avenida. E a gentileza do Fabricio, que fez todo o contato comigo e me recebeu muito bem na produtora.

E deixo um pedido: indiquem os lugares que vocês conhecem. Apontem-nos os ambulantes onde vocês comem. Usem os comentários ou o meu email (moreira1506@yahoo.com.br). A produção está visitando diversos lugares em busca dessa história suburbana a ser contada. A causa é justa e não merece ser ignorada.

Abraços!

2 comentários:

Arnaldo disse...

Diego,

Uma das coisas que mais gosto de fazer, quando viajo (e como viajo!) é comer na rua. Muitas vezes, isso é difícil, já que chego na cidade, encontro-me com o colega da filial da empresa, e ele quer me levar pra um restaurante legal (coisa que eu também adoro). Mas, basta que eu consiga me livrar do compromisso, vou pra rua. Assim, posso comer acarajé em Salvador, feijão tropeiro em Belo Horizonte, salsicha em Frankfurt ou pizza em Milão. Tudo isso, eu poderia comer num bom restaurante, mas prefiro comer na rua.

Diego Moreira disse...

Meu Modus Operandi também inclui comer na rua, com muita freqüência. Acho que foi por isso que gostei tanto da idéia da Abbas Filmes de produzir um curta falando sobre isso.

Abraço!