sexta-feira, outubro 02, 2009

PORQUE LULA CHORA PELA VITÓRIA DO RIO?

Tenho que confessar, queridos leitores, que não torci contra e nem a favor da realização dos jogos olímpicos na minha mui leal e sedutora cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Não torci contra pela razão simples de que tenho mais o que fazer. Mas não torci a favor pois os Jogos Pan-americanos de 2007 tiveram a capacidade de destruir todas as esperanças de que eventos como esse deixariam grandes legados reais para o meu Rio de Janeiro.

A Vila do Pan é um horror. Esteticamente lamentável, perigosa e cheia de problemas estruturais, serviu também como mais um fenômeno especulativo no espaço urbano da cidade.

O Engenhão é um estádio quase inútil. Serve à torcida do Botafogo para jogos com times pequenos no campeonato carioca, com times de outros estados no campeonato brasileiro e com times de fora nas competições internacionais. As grandes torcidas não cabem no estádio que não comporta nem 50 mil torcedores. Detalhe: custou mais caro que o espetacular Ninho do Pássaro, de Pequim, que comporta mais de 90 mil pessoas.

Fora outras obras de espaços que ficaram totalmente abandonados como o caríssimo velódromo, que depois do Pan nunca mais viu ninguém andar nem de Caloi Ceci; ou o Parque Aquático Maria Lenk, que recebeu uma ou duas competições depois dos jogos de 2007 e vira e mexe cria uns mosquitos da dengue.

A maioria das obras entrou em caráter de urgência, o que permitiu a escolha de empreiteiras sem licitação. Foi uma festa. O "bom administrador" que governou a cidade, aquele que queria um Guggenheim e não terminou o elefante branco conhecido por Cidade da Música, só fez reclamar do Governo Federal que, através do ministério dos esportes, injetou somas vultuosas de verbas para a conclusão das obras. E o dinheiro foi pelo ralo.

Na hora da festa, a classe média carioca, que pagou caríssimo pelos ingressos - haja especulação! - para estar no Maior do Mundo na cerimônia de abertura dos jogos, aplaudiu o "Maluquinho, mas bom administrador" e vaiou o "pobre, nordestino e analfabeto" que verdadeiramente bancou a festa.


Não tenho a menor dúvida de que os empreiteiros começarão a gastar hoje a fortuna que ganharão nos próximos sete anos. Eles estão felicíssimos. Os homens da prefeitura da cidade, que coordenarão a execução das obras, certamente serão bem lembrados, presenteados e homenageados pelos empreiteiros que vencerão - com que critérios, meu Deus? - as licitações das obras.

Eduardo Paes chora de alegria pois terá pelo menos os próximos três anos para, se quiser, participar da farra-do-boi. Quem sabe, se reeleito, ele não fica até 2016 curtindo as vacas gordas? Cabral chora também pois sabe que é bem provável que tenha cinco anos pra participar dessa festa também.

Só não entendo uma coisa: porque Lula chora pela vitória do Rio?

Ele não ganhará nada com isso. Daqui a menos de 14 meses, Lula entregará a faixa presidencial para seu sucessor. Democrata convicto, não quer se perpetuar no poder. É, na história brasileira, maior do que o Nonô. Ficasse mais tempo, como Gegê, seria maior que o gaúcho de São Borja também.

Mesmo sem a certeza da vitória, já investia na infraestrutura da cidade e em áreas carentes através do PAC. Não terá oportunidade alguma de participar da farra dos recursos. Ao contrário, talvez financie, no ano que vem, boa parte das obras essenciais, como já vem fazendo há tempos.

Então, porque Lula chora pela vitória do Rio?


Lula chora porque ama o Brasil. Chora porque quer o melhor para o povo do Rio de Janeiro sem guardar uma sombra de rancor da classe média estúpida, que o vaiou diante do mundo no Maracanã.

Lula chora porque sabe a bazófia que farão com os recursos destinados para melhorar a cidade para receber os jogos olímpicos de 2016.

Lula chora porque crê que morreria feliz no dia de hoje pelo fato do Brasil, através da vitória do Rio, ter conquistado a sua "cidadania absoluta", segundo ele mesmo disse depois do anúncio da vitória.

Lula chora porque é um emotivo, como os caboclos matutos mais humildes dos rincões desse Brasil. É um emotivo, como eu também sou, que choro ao lado dele nessa tarde banhada com as bênçãos dos deuses do Olimpo.

15 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

Bravo! É exatamente assim. E eu também choro com vocês dois.

Szegeri disse...

Mo juba!
Os canalhas não choram: os canalhas "ficam de olho".

Eduardo Goldenberg disse...

Também choro, caboclo - junto-me a vocês nesse momento de profunda emoção e festa. Choro, enquanto a tucanalhada, os filhos, netos, bisnetos e afilhados da ditadura militar e suas obras faraônicas, os radicais do PSOL e mais que tais, como disse meu mano Szegeri, ficam de olho. Eles têm, sabes bem disso, nojo do povo. Abraço.

eudini disse...

O texto é muito bom. É exatamente tudo o que eu penso, só que em palavras. Resta agora rezar, e muito para que a roubalheira seja pouca. Só acrescento uma coisa, eu torci contra. Assim que saiu o resultado eu reclamei tanto que minha empregada achou que o rio tivesse perdido.

Pelo menos teremos UM mês de paz em 2016

Diego Moreira disse...

Bruno, e que a canalha não ouse duvidar da emoção do comandante-em-chefe e da nossa também.

Zé Guéri, alegria espinosiana com o seu primeiro comentário por aqui. Grande abraço, malandro.

Edu, como bem disse o cara, a alma, o olhar, o calor, o gingado, a cor, o sorriso do nosso povo são imbatíveis. E a canalha tem nojo disso tudo. Não passarão!

Eudini, eu torço, profundamente, para que tudo dê muito certo e que o Rio ganhe muito com a Copa e os Jogos Olímpicos. E que a canalha não tenha vez para estuprar o povo como fez no Pan.

Abraços!

Filipe disse...

Diegão, torci muito pelo Rio! Cheguei a prometer ir a um show do Djavan caso ganhássemos essa disputa (pra você ter uma noção do quanto eu queria mesmo que nós tivéssemos essa oportunidade)!

Torci porque acredito que é uma oportunidade extraordinária de mudarmos nossa cidade como aconteceu com Pequim e Barcelona.

Torci porque acredito que, com os absurdos do Pan, a sociedade civil vai marcar mais em cima, e erros tão grosseiros não vão mais acontecer. Tenho fé! Posso ser ingênuo, mas jamais quero ser da banda dos que "ficam de olho".

Torce contra um evento desse é assumir que não há mais jeito na nossa política. É dizer que nunca poderemos dar passos à frente.

Os que alegam que o dinheiro deveria ser investido em outras áreas se esquecem de que uma coisa não anula a outra e deixam de lado o fato de que o retorno desse evento é inestimável, se bem realizado. E eu acredito na criatividade e na competência e na alegria do nosso povo.

No entanto, o cerne do seu texto não são os jogos olímpicos, mas o Lula.

Velho, chorei e choro junto contigo, com ele e com toda essa galera boa que anda por aqui.

Com seus erros, seus defeitos, suas fanfarronices, ele me inspira (nos inspira) a querer ser melhor, a ter orgulho de mim e do meu país, sem me cegar para os problemas que há.

E quer saber? Bendito seja o rodízio democrático, mas que eu quero o Lula em 2014, ah, isso eu quero! hahaha

Beijo grande!

Diego Moreira disse...

Mestre, entrei de cabeça na torcida hoje. Espero vivamente que a bandalha não tenha vez nos próximos eventos. E, na boa?.. O homem diz que não quer, que precisa descansar e tal. Mas eu acho que quatro anos de férias está ótimo. Que venha 2014!

Abração!

Mariane disse...

Perfeito, Diego! Um texto único! Sempre leio se blog, e sinceramente é a 1ª vez que comento aqui, talvez porque Bruno tenha te conhecido pessoalmente e me dito que você é exatamente o que é. Parabéns! Adoro agregar à minha vida as pessoas que amam o Brasil!
Beijos,

Arnaldo disse...

Diego,

Eu torci contra, confesso. Assim como torci contra a escolha do Brasil pra copa do mundo. Talvez seja coisa de ranzinza, mal-humorado, pessimista, coisas que, confesso, sou.

Não torci contra por causa de Lula, mas por uma convicção sincera que as maracutaias que envolveram o dinheiro público no Pan vão ser repetidas e amplificadas, tanto nas olimpíadas quanto na Copa do Mundo.

Infelizmente, não compartilho do otimismo de quem acredita que a sociedade aprendeu com as mazelas do Pan e que, agora, vai fiscalizar as coisas de forma tão eficiente que não haverá falcatruas. Haverá sim. Haverá nos Jogos Olímpicos e haverá na Copa. Infelizmente.

Luiz Antonio Simas disse...

Texto monumental!

Diego Moreira disse...

Mariane, seja sempre muito bem-vinda aqui. As portas da casa estão abertas para vocês sempre que quiserem.

Arnaldo, vamos, então, torcer para que a bagunça seja a menor possível e as obras deixem algum legado real para a cidade como a copa de 50 que nos deu o Maior do Mundo.

Simas, saravá, meu velho! Obrigado!

Arthur Tirone disse...

Chorei ontem com o nosso Lula e choro agora, lendo este grande texto.

Diego Moreira disse...

Grande Favela, está claríssimo que você é dos que chora, como eu e nossos amigos em comum também somos, e não dos que "ficam de olho", como bem disse o Szegeri.

Apareça! Até!

eudini disse...

Tocer, Diego, é claro que eu torço que dê certo. Mas infelizmente a mesma laia de políticos do Cesar maia que dirige a nossa cidade e esse Estado.

Felipinho disse...

Os mesmos babacas que falam mal do Lula hoje, vão, daqui há alguns anos, babar o ovo dele.

Grande texto.